Sábado, 16 de Janeiro de 2010

Quando eu penso que já está tudo dito, o Corcunda lança mais uma bujarda daquelas que, a acertarem na cabeça dum vermelho, lhe desfazem a pouca mioleira que tem. Escolheu ele o Amor como mote definitivo de combate, como cidadela a proteger, como rei a quem obedecer. Bem vistas as coisas, não há nada que fuja à sua concepção, aceitação ou tentativa de invenção. Não há nada que possa escapar à sua génese de assunto público a ser legislado, ensinado, conservado. Afinal, que se declara com a Lei a não ser que uma determinada noção de Amor deve prevalecer?

 

Por isso, vão ler os últimos dois post do homem da pretuberância dorsal e sigam para a luta, que já se faz tarde e a Fé obriga. E a luta começa em nossas casas.


Tags:

publicado por Afonso Miguel às 21:46 | link do post | comentar

escudo_ASC
facebook-button twitter-button
Posts recentes

!

comentários recentes
Afonso Miguel não desista! Muita força para contin...
Filhos de Ramires não desistem.
O que faz o Afonso Miguel aí? Faz o que fazem as t...
A propósito de "trendy"...http://www.youtube.com/w...
Reduzir a despesa do Estado - as famosas gorduras ...
As Missas ordinárias que passam na TV são bem o es...
Estas Missas televisionadas de Domingo são um autê...
Ora nem mais. Adivinhaste o meu pensamento. É exac...
E os fiéis em palhaços de circo... Pobre senhora.
Está a ser uma excelente leitura. Aguado o outro. ...
arquivos
Tags

aborto(1)

arquitectura(7)

bento xvi em portugal(19)

filosofia(23)

fsspx - roma(29)

geral(80)

história(69)

liturgia(165)

maçonaria(36)

monarquia(68)

música(13)

planeta dos macacos(44)

política(307)

religião(468)

todas as tags

blogs SAPO
RSS