Terça-feira, 3 de Novembro de 2009

A União Europeia é um projecto de maus costumes. Uma forma de chantagem política, parecida com uma família da máfia siciliana onde só entra quem deixa o passado à porta e os valores em memória longínqua. As nações deste velho continente são assediadas com um modelo económico e social aparentemente atractivo e vantajoso, salvador de crises identitárias, mas que traz a novidade de obedecermos ao padrinho a troco de um sonho. No fundo, é o mesmo que ameaçar o comerciante do território que se controla. Se quer viver, tem de pagar; se quer ser pago, tem de matar. Tudo em nome de algo que nunca ninguém sabe muito bem o que é. Um marasmo de virtudes vindas de parte incerta e conducentes a um destino desconhecido, mas que rende bom dinheiro a alguns. Um conjunto de finalidades que se esgota numa vendeta civilizacional, que age contra o que ameaça a sobrevivência do império do medo e a liberdade de acção das suas regras. Que agride o que se mova em desfavor de uma omerta dos reais objectivos dos capos e pickpockets que controlam os governos locais.

 

A história da humanidade está cheia disto. Não há grande novidade. De gangsters à Al Capone falam-nos todos os manuais escolares e pasquins televisivos. Mas achamos normal. Chegámos a um tal estado de não retorno e de impossibilidade reaccionária, que ficamos a assistir, descontentes e impotentes. Ouvimos falar de inimigos a silenciar, espingardas a empunhar, causas fracturantes a defender. Somos bombardeados com uma lavagem cerebral de ódio à verdade, à justiça e à autoridade, e entregamo-nos à miséria de sermos uma arma ambulante que vai disparar a uma mesa de voto quando o padrinho faz a chamada. E orgulhamo-nos, pavoneamo-nos e superiorizamo-nos quando repetimos as balelas que ele diz, convictos de lhe fazermos a oposição necessária. “É o melhor sistema entre os piores”, dizemos, como se o mundo fosse o bairro imundo da ideologia da família dos macacos.

 

O apelo dos senhores da terra é para que renunciemos a nós mesmos e nos façamos homens das ruas, com coragem para disparar preconceitos. Homens de uma máfia internacional que se encharquem na bebida imoral e proibida com que enriquecem. Entretanto, Portugal morreu e ninguém viu com a bebedeira, mas show must go on. Bang bang e venha outra garrafa...



publicado por Afonso Miguel às 22:57 | link do post | comentar

2 comentários:
De Anónimo a 4 de Novembro de 2009 às 01:00
Andas a beber demais.


De fabiomcunha a 4 de Novembro de 2009 às 01:42
Obviamente ninguém dará notícia do que se afirma no texto acima publicado. Ortega y Gasset já alertou sobre a união européia , mas eu pergunto, quantos leram e levaram a sério?Agora que já foi votado, não tem retorno e todos conformar-se-ão ou nem se dão conta, pois os jornais e a televisão envenenam as massas, os homens-massas. E a escola, com certeza servirá para espalhar as idéias da união européia , formando pessoas totalmente malucas e estupidificadas. Mas o povo votou em governos e tratados que realmente forçam e apresentam o errado como certo, e o certo, como errado. Na democracia do novo mundo, quem discorda é discriminado, demitido,processado e preso.Sejam bem vindos ao admirável mundo novo. O mundo parece que segue o péssimo exemplo das idéias do Brasil, que está na vanguarda do abismo.


Comentar post

escudo_ASC
facebook-button twitter-button
Posts recentes

!

comentários recentes
Afonso Miguel não desista! Muita força para contin...
Filhos de Ramires não desistem.
O que faz o Afonso Miguel aí? Faz o que fazem as t...
A propósito de "trendy"...http://www.youtube.com/w...
Reduzir a despesa do Estado - as famosas gorduras ...
As Missas ordinárias que passam na TV são bem o es...
Estas Missas televisionadas de Domingo são um autê...
Ora nem mais. Adivinhaste o meu pensamento. É exac...
E os fiéis em palhaços de circo... Pobre senhora.
Está a ser uma excelente leitura. Aguado o outro. ...
arquivos
Tags

aborto(1)

arquitectura(7)

bento xvi em portugal(19)

filosofia(23)

fsspx - roma(29)

geral(80)

história(69)

liturgia(165)

maçonaria(36)

monarquia(68)

música(13)

planeta dos macacos(44)

política(307)

religião(468)

todas as tags

blogs SAPO
RSS