Quarta-feira, 4 de Abril de 2012

 

Desmistificando o jumento, interpretando os sinais, fazendo exegese.

 

Bento XVI, in "Jesus de Nazaré Parte II":

(...) Em cada pormenor está presente o tema da realeza com as suas promessas. Jesus reivindica o direito régio da requisição de meios de transporte, um direito conhecido em toda a antiguidade. O próprio facto de se tratar de um animal que ainda ninguém montou aponta para um direito régio. Mas, sobretudo, há a alusão às palavras do Antigo Testamento que conferem a todo o sucedido o seu significado mais profundo. (...) É certo que, no tempo de David, o jumento fora a expressão da sua realeza e, na esteira desta tradição, Zacarias apresenta o novo rei da paz cavalgando um jumento quando entra na Cidade Santa. Mas, já no tempo de Zacarias e mais ainda no de Jesus, o cavalo tinha-se tornado a expressão do poder e dos poderosos, enquanto o jumento era o animal dos pobres e, consequentemente, a imagem de uma realeza bem diversa.


Tags:

publicado por Afonso Miguel às 11:58 | link do post | comentar

escudo_ASC
facebook-button twitter-button
Posts recentes

!

comentários recentes
Afonso Miguel não desista! Muita força para contin...
Filhos de Ramires não desistem.
O que faz o Afonso Miguel aí? Faz o que fazem as t...
A propósito de "trendy"...http://www.youtube.com/w...
Reduzir a despesa do Estado - as famosas gorduras ...
As Missas ordinárias que passam na TV são bem o es...
Estas Missas televisionadas de Domingo são um autê...
Ora nem mais. Adivinhaste o meu pensamento. É exac...
E os fiéis em palhaços de circo... Pobre senhora.
Está a ser uma excelente leitura. Aguado o outro. ...
arquivos
Tags

aborto(1)

arquitectura(7)

bento xvi em portugal(19)

filosofia(23)

fsspx - roma(29)

geral(80)

história(69)

liturgia(165)

maçonaria(36)

monarquia(68)

música(13)

planeta dos macacos(44)

política(307)

religião(468)

todas as tags

blogs SAPO
RSS