Terça-feira, 24 de Janeiro de 2012

Só para fazer nota de que estive este Domingo na Missa das 19h15 da Igreja de São Nicolau, na Baixa de Lisboa, e de que faço questão de lá voltar. Deparei-me com o Rito Ordinário no espírito da "reforma da reforma": cruz no centro do altar; comunhão de joelhos (não obrigatória); bom grupo de acólitos (sensus liturgicus tradicional); oração eucarística de joelhos (acólitos e povo); bom repertório musical (canto acompanhado no órgão de tubos do coro alto); e outros "pormenores" que davam para um post à parte. Mas o mais importante é que o sacerdote não inventou nada, quer na forma quer no conteúdo, o que é uma raridade... Apenas dois reparos: o Cânon Romano vinha mesmo a calhar e um pouco de gregoriano, ou qualquer coisa em latim, ficava bem.

 

No geral, uma agradável surpresa. A igreja estava cheia. Já tinha ouvido falar deste espírito reformista das tardes de Domingo em São Nicolau mas nunca o tinha comprovado. E não só fica comprovado, como aprovado. Precisa de uns pequenos ajustes, mas bem sei que Roma e Pavia não se fizeram num dia e que, no dramático panorama português, é do melhor que temos.



publicado por Afonso Miguel às 23:17 | link do post | comentar

19 comentários:
De Jorge Gomes Raimundo a 24 de Janeiro de 2012 às 23:48
Se for o sacerdote que estou a pensar, não me admiro nada, graças a Deus.
Que o bom Deus lhe dê força e coragem.


P.S.: Não coloquei isto no comentário que fiz no facebook e espero não cometer nenhuma inconfidência, mas se realmente foi o sacerdote que estou a pensar, espero ter ainda maiores novidades.


De Afonso Miguel a 25 de Janeiro de 2012 às 16:59
Caro Jorge,


Não sei bem quem é o sacerdote, mas já o tinha visto noutras paragens. Julgo ser o vigário paroquial de São Nicolau, ou estou errado?


No fim da Missa, quando cumprimentava os fiéis à saída, tive oportunidade de lhe manifestar a minha agradável surpresa. Ele pediu.me que rezasse. Não sei de que novidades fala o Jorge mas, podendo publica-las, não tenha problemas em servir-se desta caixa de comentários.


Abraço


De Cecília Magalhães a 26 de Janeiro de 2012 às 23:14
Se se refere ao facto do padre em questão celebrar a Santa Missa tradicional regularmente de forma privada e serem isso as grandes novidades, bem que pode guardá-las para si. Para o comum dos fiéis, um acto destes é tão vantajoso como coisa nenhuma. Se o padre quisesse, a situação portuguesa seria muito menos gravosa. E basta o querer, que um padre não pode ter medo, sobretudo quando tem a razão divina do seu lado. Porque como dito noutro post pelo autor do blogue, "fosse essa 'tradição católica em Portugal' verdadeiramente visível e muitos a procurariam, muitos se juntariam a nós, muitos padres se renderiam a descobrir o tesouro litúrgico católico..." Mas ao contrário do que o autor do blogue na altura escreveu, não será só por falta de coragem que o sacerdote em questão não celebra publicamente o rito antigo.

Há algo muito mais poderoso do que o medo. E infelizmente, é algo que se encontra presente em grande parte do mundo clerical. Melhores dias virão.


De O Insuspeito a 25 de Janeiro de 2012 às 00:17
Também em Mafra, tanto na Basílica como nas igrejas mais pequenas (e nas restantes paróquias do mesmo pároco), são assim as Missas :)


Tal como descreveste...


Aos poucos e poucos, vão-se vendo pequenas luzes - ainda que de fósforos se tratem - no fundo do túnel!


Abraço






De Afonso Miguel a 25 de Janeiro de 2012 às 17:02
Caro amigo,


Conheço essa situação em Mafra, da qual, aliás, já tinha feito nota aqui. E sim, aparecem pequenas luzes de esperança, mas o passo decisivo está ainda para ser tomado, e tarda...


Abraço


De Miles a 26 de Janeiro de 2012 às 12:52
Troquei impressões há uns tempos impressões em Fátima, com alguém que é membro do clero de uma diocese nacional, a esse respeito. Quando lhe frisei que na diocese a que o mesmo pertencia AINDA não havia Missa Tradicional, o mesmo limitou-se a responder - Disse bem : AINDA não há!

Para bom entendedor...


De Afonso Miguel a 26 de Janeiro de 2012 às 18:45
E é para breve?


De Miles a 27 de Janeiro de 2012 às 10:44
Acredito que teremos boas notícias a este respeito ainda em 2012.


De Afonso Miguel a 27 de Janeiro de 2012 às 12:33
Seria óptimo!


De João Silveira a 25 de Janeiro de 2012 às 01:06
Sem dúvida um (bom) exemplo a imitar!


De Pedro a 25 de Janeiro de 2012 às 09:26
Boa! Gostava de saber que pormenores faltam em sao Nicolau porque bem sei que se for reportado a este sacerdote ele aceitará com grande entusiasmo as reparações que sao necessárias... E talvez mude mais depressa do que pensamos! Quanto ao gregoriano só não têm porque ainda não arranjaram quem o cantasse...


De Pedro a 25 de Janeiro de 2012 às 09:34
Já agora fala o Pedro que comentou há pouco, deixo o meu e-mail para se o autor deste texto quiser responder-me - pedrofigueiredo92@hotmail.com


De Afonso Miguel a 25 de Janeiro de 2012 às 17:17
Caro Pedro,


Posso responder aqui.


Os "pormenores", entre outras coisas, podiam passar por celebrar "ad orientem" (ainda que no altar pós-conciliar); por juntar os dedos indicativos ao polegares desde a consagração até à purificação; por usar manípulo e birreta; pregar no púlpito; posicionar o lugar para o sacerdote lateralmente e não de costas para o tabernáculo; fechar a balaustrada, pelo menos durante a comunhão; rezar o Canon da Missa em latim; etc.


Se tiver forma de fazer chegar estas e outras recomendações ao sacerdote em questão, força. Não que este ainda não o tenha pensado, tenho a certeza, mas nada como fazer-lhe chegar as sugestões.


Quanto ao gregoriano, referia-me ao canto do ordinário. O povo acompanha a miúde e, nunca tendo ouvido, interessa-se e aprende depressa. É de facto necessário encontrar alguém capaz de o assegurar com qualidade, o que já é mais difícil. O gregoriano tem a sua ciência...


Abraço


De Miles a 26 de Janeiro de 2012 às 12:54
Caro amigo, eu não poderei estar presente devido à distância a que resido, mas creio que estará aqui um evento que te poderá interessar - http://www.gregoriano.com/Portugues.html (http://www.gregoriano.com/Portugues.html)


De Afonso Miguel a 26 de Janeiro de 2012 às 18:46
Sou capaz de ir. Obrigado. um abraço.


De Francisco a 28 de Janeiro de 2012 às 11:23
Olá,
Blog e post interessantes.
Pertenço à Capella Gregoriana Ut unum sint, um pequeno coro masculino que desde há um ano e pouco canta vários cânticos gregorianos, quer do ordinarium, quer do proprium, quer na sua versão original (Graduale Triplex, Graduale Novum, Offertoriale Triplex), quer em versões simplificadas (Graduale Simplex, Chants Abreges). Temos cantado uma vez por mês, a pedido do Prior da Paróquia (o Cónego João Seabra), em latim, numa missa paroquial normal, cheia de gente, celebrada em português, com o missal mais recente, aos 3ºs Domingos de cada mês, na Igreja de Nossa Senhora da Encarnação, no Chiado. Estamos à procura de cantores, pelo que quem estiver interessado em aprender c.g., faça favor de me contactar.
Para quem vive em Lisboa, aconselho também a Missa celebrada pelo Padre Armindo Borges na Igreja do Sacramento no Largo do Chiado, ao Domingos às 16h. Esta missa, para além de ser celebrada integralmente em Latim (excepto leituras, homilia, e preces da oração dos fiéis), é também, toda ela, cantada em gregoriano. Todos os cânticos, e também as aclamações do povo, são cantados em latim e em canto gregoriano. Há pouco tempo assisti via net à Missa in nocte do dia de Natal celebrada pelo Santo Padre e posso dizer que em Roma não se cantam tantas partes como aqui. O Padre Armindo celebra algumas partes da missa ad Deum (os ritos iniciais e o cântico da comunhão, p.ex.). Neste momento, ele precisa de um acólito permanente para poder usar incenso (Intróito, Aleluia, Ofertório e Oração Eucarística) todos os Domingos, precisa de um organista para acompanhar as aclamações do povo e para tocar durante o ofertório e comunhão, e precisa de um cantor para acompanhá-lo a partir do presbitério nos cânticos do proprium e ordinarium, perpendicularmente ao eixo Cristo-povo e vestido de traje e sobrepeliz. Esta última função seria eu a ocupá-la mas vim trabalhar para o Algarve este mês e já não poderei. Quem estiver interessado em frequentar esta missa, vá telefonando para a Igreja do Sacramento e vá perguntando se há missa celebrada pelo Padre Armindo; ele neste momento está de férias mas regressa em Fevereiro.


Por falar em Algarve, a paróquia onde resido actualmente vive a liturgia do mesmo modo que muitas outras por esse país nos últimos 40 anos, e, pelo menos esteticamente, está muito longe do espírito da "reforma da reforma". No entanto, ofereci-me ao prior para cantar o Alleluia nas missas feriais e tanto ele como os fiéis gostaram muito, embora não me consigam acompanhar. Conclusão: canto diariamente o longo Alleluia melismático de cada Domingo na missa ferial da paróquia, intercalado com o versículo do dia entoado em português segundo o modo salmódico correspondente ao Alleluia da Hebdomada. Para a próxima semana (IV do T.C.), cantarei também a Communio que vem no Graduale Romanum (cujo texto coincide com o indicado no Missal Romano), pelo que adaptarei a melodia gregoriana originalmente em latim ao texto em português. Não tenho conhecimento de que alguma vez se tenha cantado uma comunhão gregoriana em língua portuguesa, pelo que será, no mínimo, histórico! Para já, não é de todo conveniente cantar em Latim com este povo. Isso seria privá-los da Liturgia, seria para eles um chocalhar de latas, eventualmente bonito. Mas orações da missa cantadas em português de acordo com o tesouro musical da Igreja, isso sim, permite a participação activa das pessoas, não a vocal, mas a espiritual, porque a música sacra é uma arte que serve para comunicar a espiritualidade, em qualquer língua que seja. Por coincidência histórica, o movimento que retirou o latim das igrejas foi o mesmo que retirou a música sacra litúrgica (o c.g. e a polifonia da Renascença), mas latim e música sacra litúrgica são coisas distintas, e, na minha opinião, não terão que ser implementadas simultaneamente numa "reforma da reforma".
A essa missa tem ido também um rapazito, com a qual espero fundar uma schola cantorum nesta paróquia, até formar um grupo capaz de integrar a Liturgia aos Domingos.
Um abraço


De Afonso Miguel a 2 de Fevereiro de 2012 às 16:39
Caro Francisco,

Obrigado pelo seu comentário. É sempre bom saber do empenho e dedicação que o gregoriano e a música sacra em geral ainda conseguem suscitar (e quem sabe se cada vez mais) nestas terras de abandono e desolação litúrgica. Fico feliz por ler os seus esforços e peço a Deus que continuem, frutifiquem e sejam sempre motivo de maior aproximação dos fiéis a Deus.

Estou a par da Missa no Sacramento, à qual já assisti. De facto, era necessário que alguém se disponibilizasse para acolitar (alguém de São Nicolau interessado?), que existisse um organista residente (não sei se o órgão do coro alto estará em condições...) e cantores capazes. Não conhecia, contudo, a situação na Encarnação, que felicito.

Quanto à Capella Ut Unum Sint, confesso que o nome não me soa estranho. Encontrei entretanto o vosso blog e deixe-me felicita-lo uma vez mais: está muito bom!

Continue a passar por aqui.

Melhores cumprimentos


De Francisco a 5 de Fevereiro de 2012 às 21:01
Caro Afonso, muito obrigado pelo apoio. Neste momento estou a recrutar membros para o novo coro gregoriano de Nossa Senhora do Amparo:
http://divinicultussanctitatem.blogspot.com/2012/02/gregorianaculo-no-barlavento-algarvio.html
Seria pedir muito que anunciasse aqui no seu blog? Concerteza terá muitos leitores algarvios!


Quanto à Missa Cantada pelo Padre Armindo, é às 18h  de Domingo e não à hora que por lapso escrevi há dias. O órgão de tubos do coro alto está inoperacional e consertá-lo custa um balúrdio. Existe um outro, electrónico, junto ao presbitério. Também é preciso, para além de cantores, acólito e organista, quem prepare as traduções das orações do Proprium e as distribua pela assembleia, porque são em latim e mudam todas as semanas. O Ordinarium é fácil de seguir porque existem uns caderninhos bilingues com a ordem da Missa: https://www.sugarsync.com/pf/D6728407_7358221_45586


Muito obrigado,


De Lopez a 28 de Janeiro de 2012 às 14:12

olá obrigado pela indicação desta missa.
Para os interessados de facto hoje  28-1-2012 tem lugar na Sé Patriarcal um concerto de canto gregoriano.
http://www.gregoriano.com/Portugues.html
 


Comentar post

escudo_ASC
facebook-button twitter-button
Posts recentes

!

comentários recentes
Afonso Miguel não desista! Muita força para contin...
Filhos de Ramires não desistem.
O que faz o Afonso Miguel aí? Faz o que fazem as t...
A propósito de "trendy"...http://www.youtube.com/w...
Reduzir a despesa do Estado - as famosas gorduras ...
As Missas ordinárias que passam na TV são bem o es...
Estas Missas televisionadas de Domingo são um autê...
Ora nem mais. Adivinhaste o meu pensamento. É exac...
E os fiéis em palhaços de circo... Pobre senhora.
Está a ser uma excelente leitura. Aguado o outro. ...
arquivos
Tags

aborto(1)

arquitectura(7)

bento xvi em portugal(19)

filosofia(23)

fsspx - roma(29)

geral(80)

história(69)

liturgia(165)

maçonaria(36)

monarquia(68)

música(13)

planeta dos macacos(44)

política(307)

religião(468)

todas as tags

blogs SAPO
RSS